O desabafo e o agradecimento do Tenente Coronel Ciro

Feliz é o homem que consegue, mesmo em face de uma adversidade, esclarecer e agradecer a quem esteve ao seu lado. Pelas redes sociais o Tenente Coronel Ciro, acusado de ter agredido o Procurador Geral do Estado Rodrigo Maia, procurou esclarecer os fatos que envolveram sua prisão na última sexta-feira. In litteris:

Cidadãos Maranhenses, Senhores e Senhoras Oficiais e Praças da PMMA, meu cordial Bom dia e que todos estejam sob a benção e proteção de Deus, nosso criador e Grande Arquiteto do Universo!

“Ao ser declarado Aspirante à Oficial da Polícia Militar do Maranhão, assumo o compromisso de cumprir rigorosamente as ordens das autoridades a que estiver subordinado e dedicar-me inteiramente ao serviço policial-militar, à preservação da ordem pública e à segurança da comunidade, mesmo com o sacrifício da própria vida”. Bem, este é o compromisso que assumi junto cada cidadão Maranhense, ao ingressar na PMMA, bem como a cada cidadão brasileiro, ao ser declarado Aspirante à Oficial da Arma de Infantaria do Exército Brasileiro aos dezenove anos de idade, todavia, ressalto para que percebam que não assumi o compromisso de ser condescendente em demasia, atendendo às vontades alheias com facilidade, ou seja, não assumi o compromisso em ser subserviente. Atualmente, existem em todo Estado do Maranhão apenas 78 (setenta e oito) Tenentes Coronéis do Quadro de Oficiais da Policia Militar, conforme a relação de Oficiais da PMMA por antiguidade referente às promoções de 30/04/2017, dos quais eu ocupo a 17ª posição APESAR DE O ACÓRDÃO Nº 191812/2016 da Quinta Câmara Cível do TJMA, PUBLICADO NO DJe de 04/11/2016 TEXTUALMENTE DETERMINAR, in verbis: “ANTE TODO O EXPOSTO, FORÇOSO SE RECONHECER PELA NECESSIDADE DE MANUTENÇÃO DA SENTENÇA DE ORIGEM QUANTO À DETERMINAÇÃO AO ESTADO DO MARANHÃO DE PROCEDER À IMEDIATA PROMOÇÃO DO APELADO AO CARGO DE TENENTE CORONEL QOPM, RETROAGINDO A PROMOÇÃO, JÁ INCLUSIVE EFETIVADA ADMINISTRATIVAMENTE, A DATA DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006.”, o que me conduziria, por ora, à posição de Tenente Coronel mais antigo da PMMA. Percebam que se passaram as promoções de Dezembro do ano de 2016 e as de abril do corrente ano, portanto mais de oito meses, e a determinação IMEDIATA do Tribunal de Justiça ainda não foi cumprida. Ora, se a determinação de cumprimento IMEDIATO do Tribunal de Justiça não é cumprida, imaginem a lei…

Em nenhum momento de minha vida, tratei ou trato desrespeitosamente qualquer cidadão ou cidadã seja de que nível for, no entanto, também não aceito ser desrespeitado ou achincalhado por qualquer cidadão e/ou autoridade, seja de que nível for. Daí a minha reação para com o Dr. Rodrigo Maia, quando este buscou me intimidar, com sua posição política que lhe é favorável, em face do direito que tenho expressamente na lei e que a administração deveria de ofício fazer valer, e cujos desrespeitos, sinceramente, não creio que o Excelentíssimo Sr. Governador do Estado do Maranhão, na qualidade de um Ex-Juíz Federal, esteja sabendo do que realmente esteja acontecendo, pois do contrário, o que cada cidadão deve pensar sobre o mesmo, que em tese detém o conhecimento jurídico, e uma norma vinculada não é cumprida? Acredito que o mesmo deverá ter a altivez em determinar me chamar para saber o que de fato está acontecendo. É que a norma da alínea “d” do Art. 29 da Lei 3.743/1975, segundo pacificou o STF e STJ, só não viola o princípio da presunção de inocência em face a existência da previsão da alínea “c” do Art. 17 da mesma Lei retro, considerando ainda o Parágrafo único de seu Art. 4º e Art. 9º combinado com os parágrafos 1º e 2º do Art. 78 da Lei 6.513/1995, pois no período entre o ano de 2005 a fevereiro de 2010 este oficial estava na condição de sub júdice em processo que restou absolvido com sentença transitado e julgado em 23/02/2010. E neste caso ficou encarregado o Dr. Osmar Cavalcante, pessoal na qual, apesar de conflitarmos no papel e teses, tenho profundo respeito e admiração pela sua maneira educada e cordial de ser, e que das vezes que nos encontramos, de forma natural, separamos o debate da lide jurídica das nossas questões pessoais. Enquanto, diferentemente o Dr. Rodrigo Maia, resta a prepotência e arrogância, tentando inclusive me intimidar na presença de outras autoridades como o caso que ocorreu.

Cidadãos e cidadãs Maranhenses! Não sou e nem tenho o dom da política e em minha carreira militar aprendi apenas que o “BRASIL É ACIMA DE TUDO” e que meu partido é PMMA. Destarte, não carrego a filosofia de Governo, mas sim a filosofia de Estado, onde o bem público e comum deve ser respeitado a qualquer preço. Assim, na área em que desenvolvo minhas funções aprendi que ao gestor, não dá para conciliar quem trabalha para fazer política com quem trabalha para fazer segurança pública, é que ao primeiro não importa as decisões de interesse para do todo, mas as de seus próprios interesses. E tolo é o cidadão que votará num profissional destes. O voto é a arma mais poderosa que um cidadão tem, onde todos são literalmente e verdadeiramente iguais. E o que me deixa estarrecido, é que, na qualidade de ser o 17º Ten Cel da PMMA, apesar de por direito ser o 1º, em nenhum momento recebi se quer um telefonema daqueles que me comandam, pelo menos com a curiosidade em perguntar: “Tenente Coronel Ciro o que é que houve?”. Ninguém buscou me ouvir… seja o Comandante Geral, seja o Sr. Secretário de Segurança e nem o Excelentíssimo Senhor Governador do Estado. Todavia, voluntariamente, já que me encontrava trabalhando normalmente no QCG, me dirigi à sala do Subcomandante Geral da PMMA onde recebi a informação de que o tal procurador estaria fazendo um procedimento contra minha pessoa na SECCOR, local que me desloquei também voluntariamente e tive a companhia também voluntária do Sr. Coronel Simplício. Chegando na SECCOR me deparei com uma “Força Tarefa” composta de três Delegados que queria pegar o termo do Coronel Simplício como meu Condutor, o que o mesmo se recusou, e os mesmos queria forcar tal condição e o mesmo se manteve firme, pois quem tem dignidade age assim. Da mesma forma ocorreu com o Coronel Sá, que também como Homem que é, se recusou em se submeter a vexame de OFICIALMENTE MENTIR. De Homens assim é que nosso SAGRADO UNIFORME DE POLICIAL MILITAR DEVE SER PREENCHIDOS!!! Todavia, inusitadamente, não lembrando se militar ou civis, haja vista que haviam mais de dez pessoas a minha volta, ouvi alguém falar o seguinte: “Coronel o senhor não vai acreditar, mas ratos acostumados a viver às escondidas no esgoto de Brasília mamando na União, entrou pelos fundos da delegacia e está dizendo ser seu condutor.”, eu apenas respondi que nós temos a verdade e a lei, e que a justiça será feita. Posteriormente, a força tarefa encarregado de cumprir a missão em me autuar em flagrante forçosamente exerceu o seu papel, que encaminhado ao Judiciário está aí o resultado. A demonstração de uma prisão ilegal na qual fui submetido. Afetando, inclusive, o psicológico e a moral de minha família.

Resta claro que o fato evidenciou, que a atual gestão Estatal me propiciaram apenas três opções: 1) Que eu me omita; 2) que eu me corrompa; 3) Ou que eu vá à guerra. E seguramente eu respondo: 1) Nunca fui omisso!!! 2) Não tenho nenhuma tendência a me corromper, pois como filho de uma Praça, não tive tempo de aprender a ganhar ilegalmente, seja da união, quando na ativa do EB, seja no Estado!!! Assim, tenho a triste notícia de meus agressores que sobrou somete a opção de eu ir para a guerra!!! E ciente de que Soldado que vai para a guerra não poder ter medo de morrer!!!

Quero agradecer a energia e atenção de todas as Praças, que em todo momento iam me perguntar como eu estava e transmitindo suas energias positivas, sei que todos os soldados estão comigo!!! Saibam que jamais permitirei, seja quem for, humilhar e subjugar nosso Sagrado Uniforme!!! Pois aprendi com o Sargento Cícero, meu pai, que fora as mãos do soldado, seu uniforme somente poderá ser tocado pelas mãos da mulher amada!!! E este pensamento meus IRMÃOS DE FARDA, carregarei em meu ser até meu último dia e irá comigo para o meu túmulo!!!

Quero agradecer a cada amigo que buscou me visitar e perguntar ao menos o que realmente aconteceu. Vocês sabem quem são.

Quero agradecer a cada mensagem, que após ter recebido meu aparelho celular de volta, vi que foram enviadas durante o cárcere a que fui submetido.

Quero agradecer à Senhora Roseana Sarney, pela demonstração de humildade em buscar saber o que de fato havia ocorrido, firmemente manifestando que se eu estivesse errado respondesse com dignidade corrigindo para não erra mais, mas que estando com a razão não me vangloriasse, mas sim buscasse identificar a lição que tal fato surgiu para meu aprendizado como autoridade e pessoa.

Quero também agradecer o manifesto e apoio do Dep. Sousa Neto, Dep. Cabo Campos e Deputado Cutrim, autoridades sempre preocupadas com as causas da Polícia Militar e seus integrantes.

Quero agradecer aos profissionais que cumpriram a missão de me autuarem em flagrante, pois de forma prática, no transcorrer do processo de autuação a que fui submetido, me ensinaram TUDO QUE NÃO DEVO FAZER ENQUANTO PROFISSIONAL SEGURANÇA PÚBLICA.

Quero agradecer a aqueles que, em face de inexistir a necessidade de mencionar seus nomes, ajudaram a ser feita a justiça.

Quero simplesmente agradecer e pedir desculpa à minha família, por tudo que estão passando em decorrência do que eles já sabem. Mas sempre afirmo: NUNCA DEIXEM DE ACREDITAR NA JUSTIÇA!!!

Por fim, quero agradecer a dois irmãos e amigos que incansavelmente lutaram pelo restabelecimento de minha liberdade desde o primeiro momento da confecção da teia a ser direcionada. Dr. Rogério Guimarães e Dr. Leonardo Quirino!!! Obrigado meus irmãos e amigos!!!! Vocês literalmente deixaram suas famílias em casa e a todos os instantes permaneceram ao meu lado em luta pela minha liberdade prontamente restabelecida!!!

Ainda há juízes neste país!!!
Com Honra e Humildade!!!
Ten Cel QOPM CIRO”

Que suas palavras falem por si e que a instrução demonstre quem está com a verdade. Por enquanto, este blog reafirma o que disse Em defesa do Tenente Coronel. Se as imagens mostrarem que após a chegada do Procurador ele deu três tapinhas nas costas do PM estará confirmada a expressão debochada que teria gerado a reação do Tenente Coronel. Se não, nada justifica a ação do Tenente. Só o tempo poderá dizer.

Anúncios

Um comentário sobre “O desabafo e o agradecimento do Tenente Coronel Ciro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s