Conversando sobre transgênero

Sou de um tempo em que ser fumante era incentivado por ser chique e ser LGBTS era omitido. Todos sabiam que existiam gays, porém não existia a mega exposição que existe hoje. Era raro ver um gay assumido.


Hoje, ser fumante é socialmente reprimido e ser LGBTS incentivado pelos meios de comunicação e pelas redes sociais. Na verdade, existe mesmo uma necessidade de auto-afirmação e até mesmo, em alguns casos, de chocar a sociedade. É até raro hoje em dia ver casais hetero demonstrando carinho em público, mas é cada vez mais comum ver casais LGBTS em amassos ostensivos. Não raro se dizem discriminados se alguém discorda.


Vai acabar sendo raridade ser fumante e ser LGBTS quase uma imposição social.

Na programação da Rede Globo, ser LGBTS é colocado como se fosse a coisa mais normal do mundo e não é. Confunde de mamando a caducando.

Hoje mesmo me deparei com uma revista que antecipa que o personagem Ivan, ex-Ivana, vai aparecer grávida do ex-namorado que ele (a) ainda ama. Mas hoje ela é homem, quer agir, ter corpo e se vestir como homem, mas vai parir, ter filho. Como explicar isso tudo para uma criança? E depois? Vão ficar juntos? Dois homens, sendo um deles mulher/homem? Como será uma relação sexual nesse caso? Usarão o órgão sexual (vagina) do Ivan (a) ou farão como gays masculinos  (gay que nasceu fisicamente homem) Isso tudo é uma salada na minha cabeça de homem nascido no século passado.

Confesso que tento entender e fingir costume, mas é complicado demais. Fico tão perdido quanto o professor do vídeo acima. O homem se unirá a uma mulher e constituirão família. Crescei e multiplicai. Foi assim que eu aprendi. É assim que está na bíblia.

Essa semana surgiu a discussão sobre a cura gay e a repressão ao Juiz que teria dito que ser gay é uma doença. Ele em momento algum disse isso na decisão. Apenas reconheceu a possibilidade de um profissional de psicologia atender a quem o procurasse para tratar do tema homosexualismo. Deturparam a decisão para se vitimizar e se auto-afirmar. Completamente desnecessário tudo isso.

Que me desculpem aqueles que pensam de forma contrária, mas acho que preferia como era no século XX e no regime militar. Acho que estamos precisando de uma dose a mais de censura no Brasil.

Estou com medo de que ser LGBTS venha a se tornar obrigatório no Brasil.

Anúncios

2 comentários sobre “Conversando sobre transgênero

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s