Um parlamentar que merece respeito

Não é segredo para ninguém que sou um aficionado por política e como tal, sempre que posso, acompanho os programas em que se discute a matéria. Ontem não foi diferente. Enquanto me recuperava de outra crise de diverticulite, ouvi parte de um programa especializado no assunto na rádio AM, quando nele foram proferidas alegações depreciativas à atividade parlamentar do Senador Roberto Rocha. Não concordo com o afirmado.

Não tenho procuração do Senador para defendê-lo, não sou seu correligionário político e sequer somos amigos. Contudo, em homenagem ao seu pai que tinha pelo meu pai grande admiração e respeito, dou a César o que é de César e faço agora um reconhecimento público que a muito faço para os meus amigos. Roberto Rocha foi um grande Deputado Federal e hoje desempenha, com qualidade, o mandato de Senador que lhe foi outorgado pelo Povo do Maranhão. Não se fez político e não se mantém na política por ser filho de Luiz Rocha, mas por ter sido atuante em toda sua carreira, ter visão de futuro e por defender o seu Estado com unhas e dentes.

Não tivesse apresentado nenhuma propositura como Deputado e apresentou; não tivesse destinado milhões em emendas para os municípios do Maranhão e destinou; o Maranhão deve a Roberto Rocha, dentre tantas coisas, a ampliação da área de atuação da Codevasf, a qual passou a incluir até a bacia do Gurupi, cobrindo assim todo o território Maranhense e possibilitando o aporte no nosso Estado dos recursos dessa grande companhia brasileira.

Para quem não sabe, a Codevasf é responsável pela distribuição aos municipios de kits de irrigação e Cisternas, perfuração de poços artesianos, abertura e manutenção de estradas e uma infinidade de projetos que podem levar melhorias para as nossas mais distantes povoações. Isso representa investimentos de milhões de reais nos próximos anos para o desenvolvimento do Maranhão.

Se nunca tivesse feito nada como parlamentar e fez, só esse projeto de sua autoria já o colocaria na galeria dos grandes parlamentares da nossa história.

Assim sendo, devo dizer ao povo do Maranhão que Roberto Rocha é um parlamentar que merece respeito, que trabalha muito pelo Maranhão e que é muito respeitado no cenário político nacional.

Anúncios

Maranhenses em destaque

Nesta última semana, os três Senadores maranhenses estiveram em destaque na mídia nacional. Sua atuação parlamentar relacionada ao pedido de cassação do Mandato do Senador Aécio Neves no Conselho de Ética do Senado e as matérias relacionadas à Comissão de Constituição e Justiça, notadamente no que concerne à aprovação da reforma trabalhista e à sabatina de Raquel Dodge mostraram a respeitabilidade dos nossos parlamentares.

O Senador João Alberto, em ação destacada por este blog em João Alberto: um político de coragem, cabra macho sim senhor., já havia sido matéria nacional quando acertadamente decidiu arquivar, por falta de provas, a representação por quebra de decoro parlamentar contra o Senador Aécio Neves. Voltou a ser notícia em função do problema de saúde que o levou a colocar um marca-passo e retornou hoje às manchetes quando a Comissão de Ética do Sendo decidiu, por maioria, manter sua decisão de arquivar a representação. Pesou nesse resultado a decisão do Ministro do STF, Marco Aurélio, de devolver ao Senador o livre exercício do seu mandato, aqui destacado em O mandato “di a é ci ô” é do povo, mas também a solidez das razões apresentadas por João Alberto de Souza.

Edison Lobão, o mais experiente Senador em exercício no Senado Federal, na condição de Presidente da comissão mais importante daquela Casa, a de Constituição e Justiça, foi o responsável por indicar Romero Jucá para relator da reforma trabalhista na CCJ. Com pulso firme, porém com a fidalguia que lhe distingue entre seus pares, conduziu a análise e votação sem maiores percalços, garantindo sua aprovação. A matéria segue para deliberação Plenária.

Não bastasse isso, escolheu ainda o Senador Roberto Rocha para relatar a indicação de Raquel Dodge para o cargo de Procuradora Geral da República, fato aqui analisado em Agora é DODGE. Mesmo sendo Senador de primeiro mandato, a experiência parlamentar como Deputado do herdeiro político de Luís Alves Coelho Rocha lhe garantiu uma análise rápida e consciente da qualidade da postulante ao Cargo, a qual classificou como como detentora de experiência inquestionável. Agora, segue a sabatina constitucionalmente exigida que será realizada no dia 12 de julho.

Não bastasse o protagonismo dos Senadores maranhenses, outro também merece destaque. Mesmo sem mandato, o ex-Presidente José Sarney segue como grande apoiador e conselheiro do Presidente Temer. Do alto de sua larga experiência tanto no Poder Executivo quanto no Poder Legislativo, Sarney tem mostrado grande força e fôlego para auxiliar nas relevantes questões nacionais, sempre se colocando à disposição quando é convocado, fato já também aqui destacado em José Sarney: um vulto da Pátria .

Em que pese o grande esforço feito pelo Eliott Ness tupiniquim pra incriminar os nossos representantes com base em fragilíssimas delações premiadas e colocá-los na lista negra dos denunciados – fato inclusive destacado quanto ao Ex-Presidente Sarney, pelo Ministro Gilmar Mendes, em recente julgamento no Supremo Tribunal Federal – os políticos maranhenses seguem dando o tom na República e não por acaso continuam a ser extremamente respeitados.

Para tristeza de alguns poucos, os maranhenses continuam em destaque e graças a Deus trabalhando por muitos.

Agora é DODGE

Na minha velha infância nós não tínhamos veículo automotor. Somente por volta de 1974, quando nos mudamos para o Conjunto Ipase, bairro de São Luís (MA), meu pai adquiriu de um vizinho nosso, senhor Penha, um Volkswagen Fuscão vermelho, placas AA 9917. Aquele veículo mudou as nossas vidas no que se refere ao meio de transporte. A partir dele passamos também a descobrir o mundo dos automóveis. Dos grandes aos pequenos, lembro de uma marca que sempre me chamou a atenção, vez que na época tinha tanto o maior (o Dart) quanto o menor (o Polara). Era a Dodge.

Com o tempo descobri que Dodge era uma marca mundial e que era responsável por grandes veículos produzidos no mundo. Ela criou ícones mundiais da velocidade,  inclusive figurando em inúmeras películas de hollywood, sendo o mais famoso, no meu conhecimento, o Dodge GT Corby, retratado no filme 60 (sessenta) segundos (estrelado por Nicolas Cage e Angelina Jolie), como a cereja do bolo dos 50 (cinquenta) carros que precisavam ser roubados.

O nome Dodge ganhou todas as manchetes da imprensa nacional nestes últimos dois dias  com a escolha, pelo Presidente Michel Temer, da Procuradora Raquel Dodge para substituir Rodrigo Janot no cargo de Procurador Geral da República. A notícia ganhou destaque por ser ela a primeira mulher que ocupará o cargo e segundo por não ter sido ela a mais votada na lista tríplice encaminhada para nomeação pelo Presidente. A indicação segue agora para o Senado da República aonde se dará a sabatina junto à Comissão de Constituição e Justiça, presidida pelo Senador pelo Maranhão Edison Lobão. O Relator da indicação caberá ao também Senador pelo Maranhão Roberto Rocha. Que honra. Novamente o Maranhão no centro dos assuntos nacionais.

Em que pese o Presidente Temer não estivesse obrigado sequer a nomear um dos integrantes da lista e muito menos o mais votado, optou por escolher a Procuradora Raquel Dodge, segunda mais votada na lista. Mestra em Direito pela prestigiosa Universidade de Harvard, a virtual PGR surge no cenário como uma esperança de lucidez na condução de tão importante Órgão, o que se constatou principalmente quando a Procuradora provocou o Conselho Nacional do Ministério Público para limitar a convocação de Procuradores para forças tarefas, haja vista que os Estados estavam ficando desfalcados com acúmulo de trabalho.

De nada adiantou a campanha difundida por setores da imprensa de que a Lava-Jato só teria força se o escolhido fosse o preferido do Janot. Em que pese seja competentíssimo e tenha uma carreira brilhante o Maranhense, sub-Procurador da República, Nicolau Dino,  o fato de não ser ele o escolhido nem coloca em cheque a operação nem tampouco o futuro da Procuradoria Geral da República. De parabéns o Presidente por não ter se deixado pautar. O dever do Presidente é atender aos ditames da Constituição, não ao que quer a Rede Globo. A Constituição do Brasil não obriga o Presidente a nomear integrante de lista. Sequer prevê a composição de lista. Agiu, portanto, nos termos do nosso ordenamento jurídico.

Que a nova Procuradora Geral da República tenha sucesso na nova missão e tenha o mesmo destaque que seu nome possui em outro seguimento: o nome agora é DOGDE.