Santo Amaro do Maranhão: um presente de Deus

Em outubro de 2001 entrava no ar uma das mais laureada novelas produzidas pela TV brasileira. “O Clone”, de Glória Perez (direção geral de Jayme Monjardim), conta a estória de amor de Lucas e Jade e a experiência bem sucedida do geneticista Albiere em produzir um clone desse mesmo Lucas para recriar seu irmão gêmeo Diogo, afilhado do cientista e amado por ele como um filho, morto que fora em uma queda de helicóptero. Em uma passagem marcante da novela, já em sua segunda fase, Albiere revê o clone Leo nos Lençóis Maranhenses, tendo a embalar a sequência de imagens a excelente música de Marcus Viana, “Sob o Sol”, interpretada por Malu Aires.

Mesmo sabendo que a gravação havia sido em Barreirinhas (se não conseguirem visualizar o vídeo por restrições autorais basta digitar no YouTube “Albiere vê Leo”), não tive como não relembrar a inesquecível cena. Estava eu no banco traseiro de uma Toyota prata 2001 dirigida pelo Tomé, o conhecido Bazola, tendo como guia o competente Diego quando, olhando as pegadas de pessoas e carros sendo recobertas pelo movimento constante da areia que forma as incontáveis dunas do parque dos Lençóis Maranhenses, me veio à mente a imagem e a música que fala da criação de Deus.

Sim, não tenho a menor dúvida de que essa maravilha é obra e presente de Deus. Sob o Sol e a luz se contempla até perder de vista esse tesouro do Maranhão. São quilômetros de dunas que formam as paredes das piscinas de água doce que se formam ano a ano com a estação das chuvas. Águas de todas as cores que junto à areia branca e a vegetação nativa formam um indescritível cenário. Que me perdoem aqueles que atribuem às belezas naturais de seus Estados o epíteto de paraíso. Senhores, o paraíso é aqui e foi batizado com o nome de Santo Amaro do Maranhão. A humildade da Sede do Município não desmerece o local. As confortáveis pousadas, como a Isabella, Rancho das Dunas, Rio Alegre e Solar das Gaivotas garantem uma estada agradável para os visitantes e o recentemente inaugurado Dunas Bistrô, do Mauro, uma viagem gastronômica em um ambiente aconchegante, sofisticado e de muito bom gosto.

IMG-20180716-WA0118

Nas pousadas ou agências de viagem você contrata os passeios para o parque, os quais são realizados pela cooperativa local de toyoteiros e guias. Apesar de serem inúmeras, apenas algumas piscinas possuem autorização do ICMBIO, Instituto Federal que protege e gerencia o parque, para visitação. Assim, em um dia você conhece a Lagoa da andorinha, gaivota e da Serra.

 

No dia seguinte você se lança em um passeio de um dia inteiro até o povoado Betânia, aonde se chega de barco pelo Rio Alegre e degusta um delicioso almoço. Após um merecido descanso em uma preguiçosa rede oferecida no local, começa a jornada de retorno com parada em outras maravilhosas lagoas até chegar ao alto de uma das dunas para assistir ao inesquecível por do sol.

 

Existem outros passeios mais distantes, bem como o passeio a pé por todo o Parque dos Lençóis, contudo não tenho mais o espírito esportivo de outrora nem o preparo físico para me lançar nessa jornada. Já estive antes incontáveis vezes em Barreirinhas, bem como já estive em Paulino Neves, Tutóia e Araioses, aonde visitei o Delta das Américas. Já escrevi antes sobre Santo Amaro, mas somente agora, depois de passear pelas dunas, rio e lagoas é que posso afirmar que realmente conheço os Lençóis Maranhenses. Espero que a futura Governadora do Maranhão recrie e  reestruture com orçamento a Secretaria de Turismo do Estado do Maranhão para que esse paraíso se torne conhecido e seja dividido com o mundo.

Venham conhecer também. Vocês não irão se arrepender. Tenho certeza que sentirão, como eu senti, que tudo isso é um presente de Deus que se renova a cada minuto com o silencioso deslocamento da areia conduzida pelo vento.

Anúncios